domingo, 25 de novembro de 2012

Há Tanta Vida Lá Fora!!


Nada do que foi será
De novo do jeito que já foi um dia
Tudo passa
Tudo sempre passará

A vida vem em ondas
Como um mar
Num indo e vindo infinito

Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente
Viu há um segundo
Tudo muda o tempo todo
No mundo

Não adianta fugir
Nem mentir
Pra si mesmo agora
Há tanta vida lá fora
Aqui dentro sempre
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar

Nada do que foi será
De novo do jeito
Que já foi um dia
Tudo passa
Tudo sempre passará

A vida vem em ondas
Como um mar
Num indo e vindo infinito

Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente
Viu há um segundo
Tudo muda o tempo todo
No mundo

Não adianta fugir
Nem mentir pra si mesmo agora
Há tanta vida lá fora
Aqui dentro sempre

Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Lulu Santos
.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~
Hoje pela manhã, após uma palestra maravilhosa sobre o Homem de Bem, a palestra se encerra com esta canção, em uma bela associação sobre o ser em evolução que ainda somos e estamos....e como diz a canção: Não adianta fugir, nem fingir pra si mesmo agora, há tanta vida lá fora...
Nos permitamos sim, exteriorizar este Homem de Bem que ainda está lá escondido e fugindo de si mesmo dentro de cada um de nós...sem se envergonhar jamais de nos defrontarmos com aquele que reflete no espelho todas as manhãs...
E hoje a tarde ouvindo Haroldo Dutra para enriquecer mais um início de semana, aproveitem sem moderação!!!
NAMASTÊ!!!



3 comentários:

✿ chica disse...

Lindas tuas palavras e essa música ,adoooooro!! beijos,chica

O Profeta disse...

Já não posso dar-te a mão, cheguei tarde
Entre ruinas procuro o sentido, a razão
Já não canto aos deuses, não rezo
Já esqueci o sabor do desprezo, não desprezo

Tracei um círculo de solidão
Ausente do meu nome está o chamamento
Jazem mudas as folhas de silêncio
Errantes brumas ao sabor do vento

Percorri um longo e tortuoso caminho
Moro numa casa da memória no topo da saudade
Prodígios de mil cores espalhei pelo caminho
Pintei almas, mentiras, girassóis e singelas verdades




Boa semana


Doce beijo

O Profeta disse...

Inventei a ironia numa toada de vento
Roubei as asas a uma gaivota azul
Colei-lhes um poema cheio de penas
E enviei-o para uma tonta do sul

Inventei um mar numa bola de sabão
Roubei uma corda forte e boa
Atei um rol de mágoa à mesma
E afoguei-as nas águas de uma lagoa

Bom fim de semana


Doce beijo

Postar um comentário

É assim...

É assim...
Tecnologia do Blogger.

ou é assim...

ou é assim...

Follow by Email

About Me

Minha foto
Pedra bruta se deixando lapidar pelo cinzel da vida

Seguidores