sábado, 21 de abril de 2012

O monstro da indiferença

"A felicidade dispersa a neblina da indiferença que persiste em nos rodear."
Marcio Kühne


"...DE TANTO ver, a gente banaliza o olhar", escreveu o jornalista Otto Lara Resende. "Vê, não vendo. Experimente ver pela primeira vez o que você vê todo dia, sem ver. Parece fácil, mas não é. O que nos cerca, o que nos é familiar, já não desperta curiosidade. O campo visual da nossa rotina é como um vazio. Você sai todo dia, por exemplo, pela mesma porta. Se alguém lhe perguntar o que é que você vê no seu caminho, você não sabe. De tanto ver, você não vê. Sei de um profissional que passou 32 anos a fio pelo mesmo hall do prédio do seu escritório. Lá estava sempre, pontualíssimo, o mesmo porteiro. Dava-lhe bom dia e às vezes lhe passava um recado ou uma correspondência. Um dia o porteiro cometeu a descortesia de falecer. Como era ele? Sua cara? Sua voz? Como se vestia? Não fazia a mínima ideia. Em 32 anos, nunca o viu. Para ser notado, o porteiro teve que morrer. Se um dia no seu lugar estivesse uma girafa, cumprindo o rito, pode ser também que ninguém desse por sua ausência. O hábito suja os olhos e lhes baixa a voltagem. Mas há sempre o que ver. Gente, coisas, bichos. E vemos? Não, não vemos. Uma criança vê o que o adulto não vê. Tem olhos atentos e limpos para o espetáculo do mundo. O poeta é capaz de ver pela primeira vez o que, de fato, ninguém vê. Há pai que nunca viu o próprio filho. Marido que nunca viu a própria mulher, isso exige muito. Nossos olhos se gastam no dia a dia, opacos. É por aí que se instala no coração o monstro da indiferença."
Aprecie as pequenas coisas da vida, porque um dia você poderá, ao olhar para trás, descobrir que elas fizeram uma grande diferença.(Marcio Kühne)
.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.
Oiee!!
Pior que a indiferença com o outro é a indiferença consigo próprio.
Quem nunca cantarolou Ultraje a Rigor: Eu me amo, eu me amo...não posso mais viver sem mim!!
E você se ama??

Bjse bom final de semana!!





5 comentários:

SHEYLA - DMULHERES disse...

Teresa, desse mal eu não sofro , sou atenta até demais a tudo , a todos e ao meu redor rsrs Ás vezes, queria fazer vista grossa pra muitas coisas rsrsrs
Eu me amo inteiramente.
Bjokas e bom domingo de muito amor.
Sheyla.

✿ chica disse...

Lindo esse texto e tema e realmente a indiferença conosco mesmo é pior que a outra, com os demais...beijos,lindo domingo,chica

Fabio Baptista disse...

Realmente, existem muitas coisas e pessoas pelas quais passamos sem notar. Reflexo do mundo centralizado no "eu" e na agitação.

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Teresa Cristina, acho bonito esse nome! Bem, nada a ver, não é?
Muito interessante a sua postagem. Enquanto lia fui refletindo o porque dessa ocorrência. Tem dias que eu vejo tudo, reparo nas flores, nos pássaros, nas pessoas,...,na vida. Outros dias, não!
No meu caso, penso que muitas vezes estou vivendo o futuro e perdendo de curtir o "AGORA".
Sua postagem foi uma boa "cutucada" para a gente reparar mais nas boas coisas da vida.
bjs
Manoel.

Milton Kennedy disse...

Oi amiga virtual Teresa Cristina, excelente e oportuna reflexão nos leva este texto... a impressão que tenho é que este post foi direcionado a minha pessoa.
Obrigado pelo toque, mesmo que sem querer, rsrsrsrs.

Abraços, saúde e muita paz interior.

Postar um comentário

É assim...

É assim...
Tecnologia do Blogger.

ou é assim...

ou é assim...

Follow by Email

About Me

Minha foto
Pedra bruta se deixando lapidar pelo cinzel da vida

Seguidores