domingo, 2 de novembro de 2014

Obra Prima

Não passamos de doce rascunho,
folhas brancas levadas pelo vento,
pegando forma em cada acontecimento,
evoluindo a cada inocente assunto.

Obra prima do onisciente artista.
Pintando com tinta celestial,
amor atemporal de cores autista,
despontando em tela magistral.

Ingratos e seus senhores...
A completude declama
O Gênesis balança a flama!

Entre o sopro e a lama...
Catarse em sorriso de criança.
A dúvida fura a alma como uma lança!

Rberg F. Reis

1 comentários:

✿ chica disse...

Linda e reflexiva poesia escolhida! Valeu! bjs, tudo de bom,chica

Postar um comentário

É assim...

É assim...
Tecnologia do Blogger.

ou é assim...

ou é assim...

Follow by Email

About Me

Minha foto
Pedra bruta se deixando lapidar pelo cinzel da vida

Seguidores