sábado, 25 de outubro de 2014

Árvore Genealógica

 - Mãe, vou casar!

          - Jura, meu filho ?! Estou tão feliz ! Quem é a moça ?

          - Não é moça. Vou casar com um moço. O nome dele é Murilo.

          - Você falou Murilo... Ou foi meu cérebro que sofreu um pequeno surto psicótico?

          - Eu falei Murilo. Por quê, mãe? Tá acontecendo alguma coisa?

         -  Nada, não.. Só minha visão que está um pouco turva. E meu  coração, que talvez dê uma parada. No mais, tá tudo ótimo.

         - Se você tiver algum problema em relação a isto, melhor  falar logo...

         - Problema ? Problema nenhum. Só pensei que algum dia ia  ter uma nora... Ou isso.

          - Você vai ter uma nora. Só que uma nora... Meio macho. Ou  um genro meio fêmea. Resumindo: uma nora quase macho, tendendo a um  genro quase fêmea...
          - E quando eu vou conhecer o meu. A minha... O Murilo ?

          - Pode chamar ele de Biscoito. É o apelido.

          - Tá ! Biscoito... Já gostei dele... Alguém com esse  apelido só pode ser uma pessoa bacana. Quando o Biscoito vem aqui ?

          - Por quê ?

          - Por nada. Só pra eu poder desacordar seu pai com antecedência.

          - Você acha que o Papai não vai aceitar ?

          - Claro que vai aceitar! Lógico que vai. Só não sei se ele  vai sobreviver... Mas isso também é uma bobagem. Ele morre sabendo que  você achou sua cara-metade... E olha que espetáculo: as duas metade  com bigode.

          - Mãe, que besteira ... Hoje em dia ... praticamente todos  os meus amigos são gays.

          - Só espero que tenha sobrado algum que não seja... pra poder apresentar pra tua irmã.

          - A Bel já tá namorando.

          - A Bel? Namorando ?! Ela não me falou nada... Quem é?

          - Uma tal de Veruska.

          - Como ?

          - Veruska...

          - Ah !, bom! Que susto! Pensei que você tivesse falado Veruska.

          - Mãe !!!...

          - Tá..., tá..., tudo bem... Se vocês são felizes. Só fico  triste porque não vou ter um neto...

         -  Por que não ? Eu e o Biscoito queremos dois filhos. Eu  vou doar os espermatozóides. E a ex-namorada do Biscoito vai doar os  óvulos.

         -  Ex-namorada? O Biscoito tem ex-namorada?

          - Quando ele era hétero... A Veruska.

          - Que Veruska ?

          - Namorada da Bel...

          - "Peraí". A ex-namorada do teu atual namorado... E a atual  namorada da tua irmã. Que é minha filha também... Que se chama Bel. É  isso? Porque eu me perdi um pouco...

          - É isso. Pois é... A Veruska doou os óvulos. E nós vamos  alugar um útero.

         -  De quem ?

          - Da Bel.

          - Mas . Logo da Bel ?! Quer dizer então... Que a Bel vai  gerar um filho teu e do Biscoito. Com o teu espermatozóide e com o  óvulo da namorada dela, que é a Veruska...

         -  Isso.

          - Essa criança, de uma certa forma, vai ser tua filha,  filha do Biscoito, filha da Veruska e filha da Bel.

          - Em termos...

          - A criança vai ter duas mães : você e o Biscoito.E dois  pais: a Veruska e a Bel.

          - Por aí...

          - Por outro lado, a Bel...,além de mãe, é tia... Ou tio....  Porque é tua irmã.

          - Exato. E ano que vem vamos ter um segundo filho. Aí o   Biscoito é que entra com o espermatozóide. Que dessa vez vai ser  gerado no ventre da Veruska... Com o óvulo da Bel. A gente só vai  trocar.

          - Só trocar, né ? Agora o óvulo vai ser da Bel. E o ventre  da Veruska.

          - Exato!

          - Agora eu entendi! Agora eu realmente entendi...

          - Entendeu o quê?

          - Entendi que é uma espécie de swing dos tempos modernos!

          - Que swing, mãe?!!....

          - É swing, sim! Uma troca de casais... Com os óvulos e os  espermatozóides, uma hora no útero de uma, outra hora no útero de  outra...

          - Mas..

          - Mas uns tomates! Isso é um bacanal de última geração! E  pior... Com incesto no meio...

          - A Bel e a Veruska só vão ajudar na concepção do nosso  filho, só isso...

          - Sei!!!... E quando elas quiserem ter filhos...

          - Nós ajudamos.

          - Quer saber? No final das contas não entendi mais nada.  Não entendi quem vai ser mãe de quem, quem vai ser pai de quem, de quem vai ser o útero, o espermatozóide... A única coisa que eu entendi  é que...

          - Que.. ?

          - Fazer árvore genealógica daqui pra frente... vai ser f...

Luis Fernando Veríssimo

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Coerência

Baixe a cabeça em certas situações , mas não baixe o nível. Isto não é covardia , nem humilhação .. é coerência.. são suas atitudes acompanhando seu raciocínio , é sua transparência encarando a fraqueza alheia, são seus valores salvando seu caráter. As pessoas se perdem quando tentam ganhar no grito , se confundem quando não se controlam , se ferem quando não conseguem ferir. Este negócio de não levar "desaforo pra casa " tem deixado muita gente com a alma sem teto e com o coração ao relento...

Cecília Sfalsin

quarta-feira, 15 de outubro de 2014


As pessoas felizes não conseguem tudo o que esperam, mas querem a maior parte do que conseguem. Mantenha um pé na realidade e lute para melhorar as coisas, e não para torná-las perfeitas. Não existe perfeição. As coisas serão o que puderem ser a partir de nossos esforços.
Diener

domingo, 12 de outubro de 2014

Nossa Sra Aparecida&Crianças

Mãezinha do céu, eu não sei rezar
Eu só sei dizer quero te amar
Azul é seu manto, branco é seu véu
Mãezinha eu quero te ver lá no céu

Mãezinha do céu, mãe do puro amor
Jesus é seu filho
Eu também sou

Mãezinha do céu, vou te consagrar
A minha inocência, guarda-a sem cessar
Azul é teu manto, branco é seu véu
Mãezinha eu quero te ver lá no céu

.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~
Dia de Nossa Senhora Aparecida...para eu que vivi em Mogi das Cruzes durante 23 anos e após 16 anos a esta mesma cidade retorno, é como se fizessem passar um filme pela minha mente, sobre a minha infância, a importância da Fé que move montanhas, da inocência e pureza que "TODOS" nós temos, porque por mais que uma pessoa falhe no seu caminhar ela sempre terá uma virtude dentro dela que irá se sobressair.
A viagem até o Santuário é de umas duas horas de viagem, mas que quase não se percebe, pelas lembranças que este trajeto me proporciona e a beleza do Vale do Paraíba.
E realmente a vida é cheia de momentos, que por mais que o tempo passe, servem como pílulas de aconchego para abraços e palavras que não tive tempo de dar...saudades imensas tuas Vó Thereza.

domingo, 5 de outubro de 2014

Ciência

Um senhor de 70 anos viajava de trem tendo ao seu lado um jovem universitário, que lia o seu livro de ciências. O senhor, por sua vez, lia um livro de capa preta. Foi quando o jovem percebeu que se tratava da Bíblia, e estava aberta no livro de Marcos. Sem muita cerimônia o jovem interrompeu a leitura do velho e perguntou:
-- O senhor ainda acredita neste livro cheio de fábulas e crendices?
-- Sim. Mas não é um livro de crendices é a Palavra de Deus. Estou errado?
-- Claro que está! Creio que o senhor deveria estudar a história geral. Veria que a Revolução Francesa, ocorrida há mais de 100 anos, mostrou a miopia da religião. Somente pessoas sem cultura ainda crêem que Deus criou o mundo em seis dias. O senhor deveria conhecer um pouco mais sobre o que os cientistas dizem sobre isso.
-- É mesmo? E o que dizem os cientistas sobre a Bíblia?
-- Bem, respondeu o universitário, vou descer na próxima estação, mas deixe o seu cartão que eu lhe enviarei o material pelo correio.
O velho então, cuidadosamente, abriu o bolso interno do paletó, e deu o cartão ao universitário. Quando o jovem leu o que estava escrito saiu cabisbaixo se sentindo pior que uma ameba. O cartão dizia:
"Louis Pasteur, Diretor do Instituto de Pesquisas Científicas da École Normale de Paris".
"Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima."

Louis Pasteur

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Porta Estandarte

Olha que a vida tão linda se perde em tristezas assim

Desce o teu rancho cantando essa tua esperança sem fim

Deixa que a tua certeza se faça do povo a canção

Pra que teu povo cantando teu canto ele não seja em vão


Eu vou levando a minha vida enfim

Cantando e canto sim

E não cantava se não fosse assim

Levando pra quem me ouvir

Certezas e esperanças pra trocar

Por dores e tristezas que bem sei

Um dia ainda vão findar

Um dia que vem vindo

E que eu vivo pra cantar

Na avenida girando, estandarte na mão pra anunciar.


(Geraldo Vandré)

É assim...

É assim...
Tecnologia do Blogger.

ou é assim...

ou é assim...

Follow by Email

About Me

Minha foto
Pedra bruta se deixando lapidar pelo cinzel da vida

Seguidores