quarta-feira, 27 de junho de 2012

ESPELHO, ESPELHO MEU

Era uma vez uma bela princesa chamada Branca de Neve (Lily Collins). Tudo ia bem até sua madrasta, a Rainha Má (Julia Roberts), assumir o controle do Reino Encantado. A Rainha Má precisa casar com o rico Príncipe (Armie Hammer) para salvar seu reino que está indo à falência. Mas o Príncipe está apaixonado por Branca de Neve e, para conquistá-lo, a Rainha expulsa Branca de Neve para a floresta, onde ela terá a ajuda de divertidos anões para lutar e reconquistar seu trono, além de recuperar o amor de sua vida.


Dica do dia...ainda mais com este dia chuvoso,só não vale dar o feitiço errado para o príncipe!!
Hilário e delicado ao mesmo tempo, fugindo do convencional.



terça-feira, 26 de junho de 2012





Às vezes é necessário sacrificar uma pequena coisa a fim de obter uma maior. Se as circunstâncias são favoráveis e somos levados a escolher entre nossa exclusiva felicidade e a de um grande número de pessoas, não devemos hesitar em privilegiar a dos outros seres.
 Dalai Lama

domingo, 24 de junho de 2012

HÁ MOMENTOS NA VIDA EM QUE AS PALAVRAS NÃO SÃO NECESSÁRIAS...















"O fantástico da vida é estar com alguém que saiba fazer de um pequeno instante um grande momento..."
Ao menos tentemos ser assim, ok?

terça-feira, 19 de junho de 2012



Um coração alegre não precisa de remédios.

domingo, 17 de junho de 2012

A Porta mais larga do mundo!

"A prudência é a filha mais velha da sabedoria". (Victor Hugo)

Conta-se que um dia um homem parou na frente do pequeno bar, tirou do bolso um metro, mediu a porta e falou em voz alta: "dois metros de altura por oitenta centímetros de largura".
Admirado mediu-a de novo.
Como se duvidasse das medidas que obteve, mediu-a pela terceira vez. E assim tornou a medi-la várias vezes.
Curiosas, as pessoas que por ali passavam começaram a parar.
Primeiro um pequeno grupo, depois um grupo maior, por fim uma multidão.
Voltando-se para os curiosos o homem exclamou, visivelmente impressionado: "parece mentira!" Esta porta mede apenas dois metros de altura e oitenta centímetros de largura, no entanto, por ela passou todo o meu dinheiro, meu carro, o pão dos meus filhos; passaram também meus móveis, minha casa, tudo que possuía.
E não foram somente os bens materiais. Por ela passou minha saúde, passaram as esperanças da minha esposa, passou toda a felicidade do meu lar...
Além disso, passou também a minha dignidade, a minha honra, os meus sonhos, meus planos...
Sim, senhores, todos os meus planos de construir uma família feliz, passaram por esta porta, dia após dia... gole por gole.
Hoje eu não tenho mais nada... nem família, nem saúde, nem esperança.
Mas quando passo pela frente desta porta, ainda ouço o chamado daquela que é responsável pela minha desgraça...
Ela ainda me chama insistentemente...
Só mais um trago! Só hoje! Uma dose, apenas!
Ainda escuto suas sugestões em tom de zombaria: "você bebe socialmente, lembra-se?".
Sim, essa era a senha. Essa era a isca. Esse era o engodo.
E mais uma vez eu caia na armadilha dizendo comigo mesmo: "quando eu quiser, eu paro".
Isso é o que muitos pensam, mas só pensam...
Eu comecei com um cálice, mas hoje a bebida me dominou por completo.
Hoje sou um trapo humano... E a bebida, bem, a bebida continua fazendo suas vítimas.
Por isso é que lhes digo, senhores: esta porta é a porta mais larga do mundo! Ela tem enganado muita gente...
Por esta porta, que pode ser chamada de porta do vício, de aparência tão estreita, pode passar tudo o que se tem de mais caro na vida.
Hoje eu sei dos malefícios do álcool, mas muita gente ainda não sabe. Ou, se sabe, finge que não, para não admitir que está sob o jugo da bebida.
E o que é pior, têm esse maldito veneno, destruidor de vidas, dentro do próprio lar, à disposição dos filhos.
Ah, se os senhores soubessem o inferno que é ter a vida destruída pelo vício, certamente passariam longe dele e protegeriam sua família contra suas ameaças.
Visivelmente amargurado, aquele homem se afastou, a passos lentos, deixando a cada uma das pessoas que o ouviram, motivos de profundas reflexões.

(Desconheço o Autor)

Toda semente produz.

A escolha é nossa.

Emmanuel

sábado, 16 de junho de 2012

“SEMENTES DA MUDANÇA: A CARTA DA TERRA E O POTENCIAL HUMANO”


Encerrou hoje no Recife, tendo como próximo destino em João Pessoa a exposição: A Carta da Terra e o Potencial Humano, fui quinta feira e conferi de perto trinta lindos painéis abordando sobre a sustentabilidade e sobre o potencial humano, vivendo de uma maneira mais justa e pacífica...
O cartaz me chamou a atenção dentro de todos os coletivos que andei neste começo de mês, um menino de braços abertos em uma tora imensa de madeira, sugestiva demais por sinal, maiores informações visitem...http://sementes.bsgi.org.br/

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Quebrando paradigmas


Enquanto pensamos e formulamos nossas teorias.
O mundo vai seguindo a sua marcha, sem cores definidas.
Todos os dias, a oportunidade de mudança chama pessoa por pessoa.
Cada habitante deste mundo tão vasto e convida,
ora carinhosamente, através das situações.
Ora impondo a sua vontade através da dor.

E a cada um é dado segundo a sua determinação e a sua crença.
Há os que acreditam em pedras, outros em astros.
Alguns em “deuses poderosos”, capazes de mudarem toda a humanidade.
E os séculos passam e fica bem claro que só o próprio homem pode mudar a sua história.
O milagre que muitos esperam cair de algum lugar,
existe dentro de cada um de nós.
Somos o próprio milagre, por exemplo, quando decidimos abandonar um vício.
Quando quebramos paradigmas.
Inventamos vacinas, transplantes, cirurgias,
tratamentos diversos que mudam a história.

Antes carros de boi, depois foguetes.
Antes um telefone chiado, agora o 4G disparado.

O mundo passa na sua porta e chama:
- Vem participar da mudança.

Vem ser milagre na vida de alguém.
Pelo menos na sua!

Esta noite, ao se deitar, não pare para lamentar nada.
Pense na mudança que deseja ver na sua história.
Trace novos rumos, novos caminhos.
Quebre as “verdades” que colocaram na sua cabeça, e faça a sua própria história.
O sucesso é um passo que damos além das nossa mediocridade em aceitar que não podemos isso ou aquilo.
Nós podemos!
Nós somos sementes e frutos.
Somos anjos e demônios.
Somos o milagre que se perpetua no tempo que desafiamos.
Você pode mudar tudo, ainda hoje,
nesse exato momento em que decide deixar de apostar no fracasso e na incapacidade que toda vítima tem,
e se torna um vencedor passando por cima das próprias fraquezas.
E pega todas as derrotas do passado e as transforma em pedras para erguer o seu sucesso.
Não desista de nada, até que tenha tentado tudo!
Eu acredito em você!
Paulo Roberto Gaefke
www.meuanjo.com.br

quarta-feira, 13 de junho de 2012

A Verdade e a Parábola

A Verdade visitava os homens; sem roupas e sem adornos, tão nua quanto o seu nome.

E todos os que a viam viravam-lhe as costas de vergonha ou de medo e ninguém lhe dava as boas vindas.

Assim a Verdade percorria os confins da Terra, rejeitada e desprezada.

Numa tarde, muito desolada e triste, encontrou a Parábola que passeava alegremente, num traje belo e muito colorido.

— Verdade, porque estás tão abatida ? - perguntou a Parábola.

— Porque devo ser muito feia já que os homens me evitam tanto !

— Que disparate - riu a Parábola - não é por isso que os homens te evitam.

Toma, veste algumas das minhas roupas e vê o que acontece.

Então a Verdade pôs algumas das lindas vestes da Parábola e, de repente, por toda a parte onde passava era bem vinda.

Então a Parábola falou :

— A verdade é que os homens não gostam de encarar a Verdade nua; eles a preferem disfarçada !

Colaboração: Renato Antunes Oliveira

terça-feira, 12 de junho de 2012

Bate no Meu Peito


Nunca mais vou enganar meu coração. Prometo que não terei medo de me machucar, de sofrer, de me entregar. Tenho gana de viver. Quero buscar o que ainda não tenho, o que me faz falta.

Nao vou fingir que não percebo os sinais do meu corpo, que não sinto meu coração batendo tão forte que tenho a impressão de que vai escapar de dentro de mim. Não vou negar que a minha mão sua frio, que não segura firme a caneta no papel, que minha letra sai tremida. Não vou segurar meu choro nem esconder as lágrimas que insistem em escorrer pelo meu rosto. Não vou me envergonhar do que sinto.

Vou me aventurar, procurar o que sei que esta perdido em algum cantinho da minha alma e estava apenas esperando o momento certo pra ser encontrado. A hora eh agora. Tenho sede de emoções, como nunca pensei que um dia teria. Quero rir, chorar, correr, cair, levantar, tentar, aprender. Quero olhar pra tras sem arrependimentos, sem ter vontade de reconstruir minha historia. Quero estar certa de que fiz minha parte, que diria cada palavra novamente se fosse necessário.

Bate no meu peito uma vontade enorme de colocar em pratica as lições que aprendi nos anos em que fechei meu coração pra balanço. Percebo que não preciso provar nada pra ninguém, sei como sou e isso me basta. Bate no meu peito o desejo de abrir as portas pra viver, de finalmente conhecer o verdadeiro amor.

Márcia Duarte


domingo, 10 de junho de 2012

Histórias Cruzadas


Jackson, pequena cidade no estado do Mississipi, anos 60. Skeeter (Emma Stone) é uma garota da sociedade que retorna determinada a se tornar escritora. Ela começa a entrevistar as mulheres negras da cidade, que deixaram suas vidas para trabalhar na criação dos filhos da elite branca, da qual a própria Skeeter faz parte. Aibileen Clark (Viola Davis), a emprega da melhor amiga de Skeeter, é a primeira a conceder uma entrevista, o que desagrada a sociedade como um todo. Apesar das críticas, Skeeter e Aibileen continuam trabalhando juntas e, aos poucos, conseguem novas adesões.

.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.

Dica de um filme que comecei assistir há 15 dias atrás,mas só ontem consegui terminar de ver.
Filme com personagens fortes e marcantes, história fantástica!
Dois pontos do filme que tirei para minhas reflexões:
Coragem,algumas vezes pula uma geração.
Deus, diz que precisamos amar o nossos inimigos. E difícil de fazer,mas podemos por começar por dizer a verdade.

terça-feira, 5 de junho de 2012

O Relógio


O colégio onde eu estudava quando menina, costumava encerrar o ano letivo com um espetáculo teatral.

Eu adorava aquilo, porém nunca fora convidada para participar, o que me trazia uma secreta mágoa.

Quando fiz onze anos avisaram-me que, finalmente iria ter um papel para representar.

Fiquei felicíssima, mas esse estado de espírito durou pouco.

Escolheram uma colega minha para o desempenho principal.

A mim coube uma ponta de pouca importância.

Minha decepção foi imensa.

Voltei para casa em prantos.

Mamãe quis saber o que se passava e ouviu toda a minha história entre lágrimas e soluços.

Sem nada dizer ela foi buscar o bonito relógio de bolso de papai e colocou-o em minhas mãos, dizendo :

— Que é isso que você está vendo ?

— Um relógio de ouro com mostrador e ponteiros.

Em seguida mamãe abriu a parte traseira do relógio e repetiu a pergunta :

— O que você está vendo ?

— Ora mamãe, aí dentro parece haver centenas de rodinhas e parafusos.

Mamãe me surpreendia, pois aquilo nada tinha a ver com o motivo do meu aborrecimento.

Entretanto, calmamente ela prosseguiu :

— Este relógio tão necessário ao seu pai e tão bonito seria absolutamente inútil se nele faltasse qualquer parte, mesmo a mais insignificante das rodinhas ou o menor dos parafusos.

Nós nos entrefitamos e no seu olhar calmo e amoroso, eu compreendi que sem que ela precisasse dizer mais nada.

Essa pequana lição tem me ajudado muito a ser mais feliz na vida, aprendi com a máquina daquele relógio quão essenciais são mesmo os deveres mais ingratos e difíceis, que nos cabem a todos.

Não importa que sejamos o mais ínfimo parafuso ou a mais ignorada rodinha, desde que o trabalho, em conjunto, seja para o bem de todos.

E percebi também que se o esforço tiver êxito o que menos importa são os aplusos exteriores.

O que vale mesmo é a paz de espírito do dever cumprido.

Colaboração: Renato Antunes Oliveira

domingo, 3 de junho de 2012


"Quando estamos cheios de bons pensamentos, parece-nos que o mundo está repleto de oportunidades."
(Walter Grando)


sábado, 2 de junho de 2012

APRENDI

Aprendi que se aprende errando;
Que crescer não significa fazer aniversário;
Que o silencio às vezes é a melhor resposta;
Que amigos conquistamos sendo nós mesmos;
Que os verdadeiros amigos estão conosco até o fim;
Que não se espera a felicidade chegar, mas se procura ela;
Que quando penso saber tudo, ainda não aprendi nada;
Que a natureza é uma das coisas mais perfeitas na vida;
Que amar significa se dar por inteiro;
Que apenas um dia pode ser mais importante do que muitos anos;
Que se pode conversar com as estrelas;
Que se pode confessar com a lua;
Que se pode viajar além do infinito;
Que sonhar é preciso e procurar realizar esses sonhos é ainda mais necessário;
Que se deve ser criança a vida toda.
Que nosso ser é livre!
Que Deus não proíbe nada em nome do amor;
Que o julgamento alheio não é importante;
Que o que realmente importa é a paz interior.

Blandinne


É assim...

É assim...
Tecnologia do Blogger.

ou é assim...

ou é assim...

Follow by Email

About Me

Minha foto
Pedra bruta se deixando lapidar pelo cinzel da vida

Seguidores